A volta das cigarras

Já faz uma semana ou um pouco mais que elas chegaram, mas só agora consegui registrar. Os meses de outubro e novembro, em Brasília, têm como trilha sonora o canto das cigarras. Este trecho foi gravado na quadra 202 Sul do Plano Piloto.

9.10.2010

Após quatro meses, chove em Brasília


Chove na área central de Brasília, o chamado Plano Piloto. Durante a semana caíram uns pingos isolados. Chuva mesmo, só hoje, sábado, 2 de outubro de 2010, véspera das eleições. A chuva cai mansamente desde as 8 horas da manhã, há 3 horas e meia. Grande alívio. Ficar quase 130 dias sem chuva é terrível.

Cem anos de Pierre Schaeffer

Pierre Henri Marie Schaeffer, pioneiro da música concreta, nasceu em Nancy, na França, em 14 de agosto de 1910. Ficou conhecido por ter inventado a música concreta. Estudou na École Polytechnique, e começou a trabalhar em 1936 na Office de Radiodiffusion Télévision Française (ORTF) em Paris. Lá, Schaeffer começou a experimentar a gravação de sons, convencendo a gerência da estação de rádio a autorizá-lo a utilizar os equipamentos. Tentava tocar os sons no sentido inverso, mais lento, mais rápido e sobreposto a outros sons, técnicas desconhecidas até então. Sua primeira peça completa foi um resultado desses experimentos, e foi intitulada Étude aux chemins de fer (1948). Você pode conferir a peça clicando na seta acima.

Na época, Schaeffer fundou o grupo Jeune France, que tinha interesses em teatro e artes visuais, assim como música. Em 1942, ele co-fundou o Studio d’Essai (posteriormente conhecido como Club d’Essai), que teve papel significativo nas atividades da Resistência Francesa durante a Segunda Guerra Mundial, tornando-se um centro musical posteriormente.

Em 1949, Schaeffer conheceu Pierre Henry, e os dois fundaram o Groupe de Recherche de Musique Concrète (GRMC) que recebeu reconhecimento oficial da ORTF dois anos após. A empresa forneceu ao compositor um novo estúdio, que incluía um magnetofone. Schaeffer é reconhecido como o primeiro compositor a utilziar fitas magnéticas. Seus experimentos resultaram na publicação de A la recherche d’une musique concrète (“A busca por uma música concreta”) em 1952, um sumário de seus métodos de trabalho até então. Schaeffer morreu em 19 de agosto de 1995, aos 85 anos. Texto extraído da Wikipédia

Arqueofonia: primeira gravação completa 150 anos

Até março de 2008, a gravação mais antiga que se conhecia era a de Thomas Edison, feita em 1877, com o poema Mary has a little lamb. Os discos gravados em 1977 vinham com um selo impresso saudando os 100 anos do evento. No entanto, essa história mudou quando em março de 2008 foram decifrados 10 segundos de uma gravação ainda mais antiga, de 9 de abril de 1860, 17 anos antes de Edison.
O francês Edouard-Leon Scott de Martinville inventou um aparelho que ele chamou de “fonautógrafo”, que gravava ondas sonoras em uma folha de papel escurecida pela fumaça de uma lâmpada a óleo. Ele gravou, mas nunca conseguiu inventar um aparelho que reproduzisse a gravação. E, assim, o trecho de 10 segundos da canção Au clair de la lune ficou em silêncio por 148 anos.
A novidade veio à tona quando um pesquisador da organização americana First Sounds foi avisado de que havia possivelmente um registro sonoro em Paris. Os 10 segundos históricos foram decifrados mas estão, é claro, quase inaudíveis e ainda passam por sucessivos processos de restauração. No trecho, em meio a muitos ruídos, ouve-se uma mulher cantar “au clair de la lune, pierrot repondit” (“à luz da Lua, pierrô respondeu). Clique na seta acima do texto para escutar.
Na foto acima, o fonautógrafo.

O pioneiro Rodolfo Caesar

MosaicBlues, de 1983, foi composta sob encomenda do Groupe de Recherches Musicales, realizada no Studio 123 em um computador PDP11 programado por Bénédict Maillard a partir do programa Music V. A peça estreou na Sala Cecília Meireles e foi a primeira apresentação de obra acusmática na Bienal de Música Brasileira Contemporânea. É, também, a primeira obra eletroacústica brasileira realizada em computador.
Caesar nasceu no Rio de Janeiro, em 1950. Estudou música na Uni-Rio na década de 70, quando também estagiou com Pierre Schaeffer no Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris. Cursou o mestrado em Filosofia na UFRJ, e mais tarde completou doutoramento orientado por Denis Smalley na University of East Anglia (Inglaterra). Fundador do Estúdio da Glória, ali lecionou música eletroacústica e produziu obras para concerto e para aplicações diversas como dança, vídeo, cinema e teatro. Recebeu bolsas e encomendas de instituições como Fundação Vitae, Bolsa de Artes RioArte, Arts Council of England/Sonic Arts Network, Arts Council of Great Britain, Groupe de Recherches Musicales, Composer’s Desktop Project, e de artistas como o Duo Diálogos, Eliane Carneiro (coreógrafa), Milton Machado (artista plástico), entre outros. Recebeu distinções diversas: Prix Noroit-Arras, Concours de Musique Electroacoustique de Bourges, Tribuna Internacional de Música Eletroacústica. Leciona na Escola de Música da UFRJ, onde coordena o Laboratório de Música e Tecnologia, LaMuT. É pesquisador do CNPq e atualmente compõe em seu estúdio pessoal.

%d blogueiros gostam disto: